Por que escrevo?
Escrevo para não morrer.

(José Saramago)

terça-feira, 9 de fevereiro de 2010

JANELA DAS ALMAS

Da janela quebrada de meu quarto
olho o mundo quebrado,
quadrado,
quadrilado,
quadriláteros,
torto e eu nada.


Na verdade minha alma é menor que o mundo.
Disfarçadamente escondo-me
em cada parte do vidro quadrado
e no lado avesso da escuridão.


A janela do mundo também não se abre
para o olhar patético da multidão que não se move.
Os homens se abraçam nas lacunas
de cada instante e dissimulada completude.


Quem sabe um dia o mundo acordará
com o barulho dos cacos de mim espalhados por aí...
E da janela de meu quarto aprenderá
que as almas esquecidas e tortas celestam.










Um comentário:

Isaac disse...

A janela do mundo abre a fresta dos teus olhos/ Quem abrirá a escuridão do silêncio das palavras?...