Por que escrevo?
Escrevo para não morrer.

(José Saramago)

segunda-feira, 10 de junho de 2013

A BARCA DOS AMANTES



Sou o barquinho de papel
Arrastado pelo amor
Remado pela chama.

Sou a maré agitada
Suplicada pela saudade
Rumorejada pelo teu ar.

Sou a espuma enciumada
Flutuada pelo teu corpo
Acariciada por tua falta.

Sou o canto dos deuses
A saga de todos os amantes
E a efusão de teu sangue em mim.

Um comentário:

Mario Feijo disse...

Oi querida. Que lindo seu blog... já o estou seguindo... se quiser faça o mesmo com o meu... um grande beijo. Mário Feijó